O lado da viticultura que ninguém vê na garrafa!

Quando alguém do mundo do vinho fala que trabalha em uma vinícola ou na indústria do vinho, logo escutamos um comentário do tipo: nossa que sonho! Sim, pode parecer um sonho aos olhos de quem só vê o vinho pronto e rotulado. Mas por trás daquela garrafa existe muito suor, persistência, risos, perdas e lágrimas. E esse ano de 2016 não foi muito diferente.

Os últimos acontecimentos tem ocorrido no Chile. Todos acreditam que a influência vem do El Niño de 2016 que causa um grande impacto com um calor absurdo no país. O primeiro impacto, pouco comentado, mas que é um problema para alguns produtores são os animais que não encontram comida em seu habitat natural e invadem as viñas em busca de alimento, o que acontece com frequência na Toscana com os javalis. Esse ano foi os vinhedos chilenos que receberam a visita de coelhos famintos e que destruíram hectares de plantio, como postou Charlie Villard uma foto de seus vinhedos. E lendo os comentários percebemos que atingiu muitos outros produtores.

E nas últimas semanas os incêndios – inicialmente provocados pelo excesso de calor – também destroem vinhedos e deixam uma longa e cinza nuvem sobre as vinhas que serão colhidas em 2 meses.

Mas nesse caso culpar o El Niño por tudo é precipitado. Já se encontraram evidências de panos com gasolina amarrados em árvores e o rumo das consequências da natureza deixam espaço para incêndios propositais também.

Recebi o vídeo abaixo de uma amiga do Chile e olhem só o que esse senhor diz:

A verdade de tudo isso, é que por trás da garrafa do vinho que chega ao mercado existe uma história, famílias inteiras dedicam sua vida para o vinho. E se naquele ano não sai como se esperava, muitas lágrimas você encontrará naquele vinho! É um trabalho árduo, muita luta e persistência.

E aqui deixo a minha força para cada produtor que perdeu parte ou todo seu vinhedo. E junto o meu respeito por cada garrafa de vinho aberta!

LEIA TAMBÉM:

GEADA NA BORGONHA

QUEIMADAS ÁFRICA DO SUL

 

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.